05/05/17

Mini ZineFestPt & Free Comic Book Day 2017 / 5 e 6 de maio Mundo Fantasma


A Livraria Mundo Fantasma e o atelier 3|3, espaços da cidade do Porto dedicados às edições e publicações fora de série, e onde se têm concretizado muitas ideias de dinamização, decidiram trazer novos convidados, projectos e livros, numa festa onde há, para além dos comics grátis, exposições, lançamentos, música e cinema, oficinas criativas e um mini-mercado de edições.

Assim, dias 5 e 6 de Maio, irá decorrer na Mundo Fantasma o Mini ZineFestPt & Free Comic Book Day.

O Free Comic Book Day, celebrado em todo o mundo no primeiro fim-de-semana de Maio, acontece desde 2002 na Livraria Mundo Fantasma. É um evento dedicado à Banda Desenhada mas que não lhe é exclusivo, convocando as diversas formas gráficas de contar as histórias, de as ilustrar e de as dar a ler e a ver. Este ano de 2017 lança uma novidade, um Mini ZineFestPt a decorrer em conjunto, numa edição especial que vai dos fanzines, aos livros de artista e à arte postal e ao mais que se vai criando neste universo. O cartaz do evento é do Pedro Simões.

Exposições 

Artistas Portugueses no Mercado Americano 
Alguns dos principais autores portugueses a trabalhar actualmente para mercado americano estão representados nesta exposição concebida originalmente para o Festival Coimbra BD e que agora tem a sua estreia na cidade do Porto, na Livraria/Galeria Mundo Fantasma. Poderão presenciar a abertura da mostra ao público em dias de muita animação, 5 de Maio e 6 de Maio, este um dia especialíssimo, de plena celebração do Free Comic Book Day. Os trabalhos de Carlos Pedro, Daniel Henriques, Filipe Andrade, Jorge Coelho e Miguel Mendonça, dão-nos a ver pranchas de BD produzidas por estes autores para as principais editoras em língua inglesa, tais como as grandes editoras americanas Marvel, DC, Image e Boom Studios. A exposição foi comissariada pelo Bruno Caetano e o João Miguel Lameiras com organização da ComicHeart. Estarão presentes Jorge Coelho e Filipe Andrade, para autógrafos, dedicatórias e conversa com os fãs. 

Tempora Mutandur: Exposição dos 10 anos do Kutikuti, Serigrafias Finlandesas 
São 45 serigrafias da Finlândia com cores fortemente ácidas, típicas do atelier Kutikuti, com sede em Helsínquia. A exposição itinerante Tempora Mutandur comemora os dez anos deste grupo responsável pelo jornal gratuito Kuti. A autoria dos cartazes-BD são de Jyrki Heikkinen, Jarno Latva-Nikkola, Tiina Lehikoinen, Benjamin Bergman, Tommi Musturi, Kati Rapia, Katja Tukiainen, Matti Hagelberg, Aapo Rapi, Terhi Ekebom entre muitos outros autores finlandeses, conhecidos dos portugueses devido às suas presenças no Salão Lisboa 2005, na exposição Glömp X (2009) ou pelos livros publicados em Portugal. Esta “visita” escandinava é da cortesia da Chili Com Carne, como comemoração dos 21 anos da Bedeteca de Lisboa, no passado dia 22 de Abril, viajando até ao Porto, a 5 e 6 de Maio, mais precisamente à Livraria Mundo Fantasma, no Brasília, onde irá decorrer o evento conjunto MiniZineFestPt & Free Comic Book Day.
É possível adquirir as serigrafias da exposição por 40,00€ cada. 

A Perfect Book for Bananafish: Minizines em Riso 
Minizines do projecto Bananafish Books em Dalian (China) de Qing Zhou (周青) e Wei Guan (关暐), desde novembro de 2015. Todos os zines são publicados no mesmo tamanho e formato, com 43 milímetros por 56 milímetros, em Risografia, impressos por Pausebread Press. Com dois tipos de dobra, acordeão e flexível. Actualmente, já vão na 3ª. edição e publicaram mais de 500 zines.
A editora responsável por esta colecção é também uma loja de zines e livros de artista e ainda funciona como um espaço de colaboração a ser utilizado por jovens chineses, enquanto plataforma para todo tipo de publicações, que incluam poesia, escrita criativa e ilustração, editando trabalhos únicos de publicação independente e artistas que auto-publicam e adoram zines! 
É possível adquirir alguns dos mini-zines por 1,50€ cada. 

Mini Zines, Livros de artista e Arte postal, Colecção ZineFestPt 
Esta mostra é constituída por pequenos exemplares ou objectos únicos expostos num formato de instalação artística, são alguns dos mais representativos do conceito e da forma de mini zine, mini livro de artista e mini postais que compõem a colecção do ZineFestPt – enviados por vários autores, de várias proveniências geográficas, em registo de doação para a constituir, são uma mostra do que se faz no campo da auto-edição, da edição de autor e da publicação independente. Os zines, livros de artista e a arte postal são uma das expressões contemporâneas desta cena artística que constitui a publicação / elaboração de diferentes tipos de livros, até de livros objecto, bem como postais, selos, envelopes e outras edições por correio tradicional, que juntam arte pela arte e/ou a arte associada a mensagens de diferentes linguagens e temáticas, numa edição normalmente de tiragem reduzida ou até sem reprodução. 

Arquivo ou Acaso, Colecção Tiago Gomes 
Fanzines e mini publicações do arquivo pessoal do Tiago Gomes, editor da Bíblia, um prozine criado em 1996, onde o trabalho gráfico experimental, a composição livre e um certo ruído gráfico interligam os seus dois meios de expressão fundamentais, a poesia e a música. Encontrados entre fanzines, revistas, e diversas publicações de um arquivo em construção, na sua incrível estante de madeira são, tal como ele, suplementos de “ironia e humor associados a uma irreverência política, cultural e social” – e porque muito do que se diz já foi dito, por outros e de outras maneiras e com expressões diversas, esta colecção é um fluxus de proveniências, usos e memórias que de repente são lembradas no acaso de um encontro. 

Abstrusa, Colecção Oficina do Cego 
Esta colecção, feita na Oficina do Cego, editada a partir de 2014, é resultado do trabalho de vários autores. Alguns dos títulos em destaque: O Elogio da Cabeça Oca. Texto: João Sebastian. Ilustrado por Inês Cóias, José Feitor, Luísa Bigode e Lucas Barbosa – Colecção Abstrusa, nº 0; Pequeno Manual do Tipógrafo (compositor). Edição fac‐similada das págs. 1 a 16 do livro com o mesmo nome, publicado em 1950 pela escola tipográfica de S. José, no Porto – Colecção Abstrusa, nº 1; Apocalipse Mirim. Texto de Gabriel Alexandre Armendane da Silva (6 anos) e desenhos de Maĕlde Feitor (9 anos) – Colecção Abstrusa, nº 2; Mester, Papel e Ofício. Composto por oito octetos octossílabos escritos numa linguagem de sabor antigo, gongóricos, talvez, de Vieira de Santa Justa, com “ilustrações” sob forma de padrões de fundo tipográfico feitos por João “Papeleiro Louco” Sebastian. – Colecção Abstrusa, nº 3; 9500 Formas de Felicidade. Texto de Catarina Figueiredo Cardoso, Recortes de Isabel Barona – Colecção Abstrusa, nº 4; A Serpente & o Rio. Autora: Sarah Duvignau – Colecção Abstrusa, nº 5; Notes iOS. Textos e Imagens por Filipe Matos – Colecção Abstrusa, nº 6.


Apresentações, lançamentos e conversas

Quadrado 
Depois de ​três séries de edições inovadoras de qualidade na divulgação e análise de banda desenhada, seguidas de 13 anos de hiato, a revista Quadrado regressa com o primeiro número da sua quarta série, editado por Marco Mendes e Sofia Neto, ficando a produção a cargo do editor original, José Rui Fernandes.
Impressa na totalidade em Riso em cores variadas, a revista surge num novo formato, fragmentada em cadernos e folhas soltas. Na linha dos números anteriores, a revista é composta por banda desenhada original, textos e entrevistas. As histórias imbuem a publicação num tom melancólico, ora atravessando de maneira subtil e desconstruída o desejo de fuga e reinvenção, ora na consequência da identidade questionada numa intrusão inesperada, ou na contemplação que se instala no distanciamento involuntário entre amantes. Este número conta com contribuições de Amanda Baeza, André Pereira, Hetamoé, Marco Mendes, Sofia Neto, João Sobral, Francisco Sousa Lobo, Marcos Farrajota, Júlio Moreira e Igor Hofbauer. 
Apenas disponível para pré-encomenda.
Igor Hofbauer
PhosPrint 
O Phos Print é um projecto de edição destinado a publicar livros de fotografia a preto & branco, impressos em Riso, com algumas incursões pela cor em Xerox digital. Sendo relevante a presença e a singularidade de cada autor as nossas edições têm habitualmente 93 exemplares. O que também lhes confere um carácter único, subjacente a um conceito de livro de artista e/ou publicação independente.
Para além de fotografias, as edições Phos Print, podem ainda conviver com textos poéticos e literários, bem como com outras experiências gráficas autorais que com as imagens fotográficas possam relacionar-se.
Propomos uma experiência imagética diversificada mas com um design coerente e cuidado.Com este projecto será lançado o primeiro livro de autor da colecção 90LPI, de Helena Granjo e o livro Sakura de Mário Venda Nova. 

Music is a big fucking deal, de Helena Granjo 
A música e a fotografia sempre estiveram bem presentes no quotidiano de Helena Granjo a qual desde alguns anos atrás tem vindo a retratar o que se passa nos mais variados palcos do país, de concertos a festivais com um especial gosto por sonoridades mais alternativas e públicos intensos na sua devoção musical. Autodidacta, é no “fosso” que estabelece a sua aprendizagem e onde faz a sua escola, colaborando com vários meios online como a VICE Portugal, o Festivais de Verão, a Rua de Baixo e o Tympanum, entre outros. A música como escape, como libertação. o ambiente, os músicos, o público, os concertos. 

Sakura, de Mário Venda Nova 
no japão as cerejeiras simbolizam a natureza efémera, o aspecto circular da natureza e a sua perenidade. estão também associadas ao mono no aware (a beleza tingida de tristeza) que está ligado ao karma, ao renascimento, aos ciclos. a minha avó repetia muitas vezes que não há mal que sempre dure nem bem que nunca acabe, mais uma vez os ciclos, o karma, a vida nem sempre fácil. tudo, ou quase tudo, na vida se move em ciclos de dor e felicidade, tal como a sombra não existe sem a luz, uma não vive sem o seu oposto, uma dá origem à outra…
fotografia de Mário Venda Nova


Edições 3|3 
Da ideia, ao processo, à concretização do livro, 3|3 é um projecto de edições de autor, de livros de artista, de fanzines em vias de distinção, que funciona como um estímulo à publicação independente e do que possam ser improváveis edições. No encontro de técnicas manuais e de práticas artesanais, associadas ao fazer artístico de um livro, com técnicas de composição e impressão digital, cada publicação é um diálogo a três – o editor, o autor e o público, resultando em edições limitadas, numeradas e assinadas.
Nesta sua primeira apresentação as edições 3|3 trazem dois livros: 

Cor de burro quando fica, de Marta Ramos 
A autora tem desenvolvido vários trabalhos em contexto diarístico usando técnicas como o desenho, a escrita, os recortes e colagens, a serigrafia, e uma panóplia de imagens que encontra e desencontra numa expressão singular de ritmos, de linhas, de cor e de manchas. Retirando e compondo páginas a partir de vários dos seus cadernos intimistas, de registo reflexivo, neles traça e inscreve esboços de ideias, apropriando e desconstruindo matérias e conceitos percepcionados a partir do que a rodeia, num mundo que tem tanto de experiência e de registo objectivo como do que lhe é subjectivo, surge agora um livro feito de cadernos que assim nos dá a partilhar 

Encyclopaedia Fantástica: Cornualha 
Fadas, Demónios e Piskies aos molhos! São estas algumas das criaturas místicas do nosso mundo, no pequeno livro-guia Encyclopaedia Fantástica – Cornualha. Vamos desvendar os segredos deste pequeno condado do sudoeste do Reino Unido, e conhecer as suas tradições, descobrindo como o respeito pela natureza persistiu personificado através de lendas e superstições pagãs de outros tempos. Com ilustrações de Tânia A. Cardoso, e histórias de Joana Varanda, a ideia de criar este guia surge após a participação das autoras na mais recente revista H-Alt, com a BD «O Portal de Pedra». A partir daqui surge a possibilidade de o publicar pelas edições 3|3, projecto que abraçaram com uma fantástica energia. 

3|3 
Lançamento do mini zine do atelier 3|3, em formato A6 a partir de 3 dobras, do A4, para o A5 até chegar à dimensão final, juntando três autores e três linguagens artísticas. Sendo o 3 um número com inúmeras leituras e interpretações sejam de cariz simbólico, matemático ou puramente conceptual será ele também o mote para o tema dos vários trabalhos que nele forem apresentados.
Neste 3|3#1 a Madame Zine, o Pedro Simões e o Walter Almeida constituíram a ficha tripla, cada um usou uma técnica manual de impressão e de práctica artesanal que tem vindo a desenvolver, respectivamente a colagem, a linogravura e a gelatina. Passando posteriormente para a impressão digital, com vista a ser reproduzido de forma mais acessível, houve contudo um terceiro momento com a colaboração do Museu da imprensa, usando uma tipografia manual na capa. Surge assim o primeiro jornal zine que vem combinar o número 3 com múltiplos de três. 

Revista Triciclo 
A Triciclo é uma micro-editora de zines infantis, fundada recentemente pelos ilustradores Ana Braga, Inês Machado e Tiago Guerreiro. Pretende publicar zines, jogos e livros de artista infantis. O lançamento da revista homónima Triciclo, impressa em riso e composta por passatempos para crianças, marcou a sua estreia. Prepara-se para lançar em breve uma caixa de jogos de madeira e a Mini-Triciclo, uma edição especial de Verão da revista Triciclo. 

Violência Electro-Doméstica 
Lançamento final da série de Banda-Desenhada, de Xavier Almeida e Pato Bravo
Último fascículo (sétimo) + Colectânea de fascículos. Em “Violência Electro-Doméstica” o nosso cinzento protagonista chega à sua casa como em tantos outros dias: sozinho e infeliz. Mas nos preparativos banais das suas rotinas diárias, uma sucessão de acontecimentos bizarros deixam no ar a sensação estranha de outra vida naquela casa. É uma comédia negra sobre o sobrenatural e a loucura.

Esta série começou há 2 anos no dia 25 de Abril de 2015. Foi feita integralmente pelos autores através da técnica de gravura de linóleo. Realizaram-se 60 pranchas de BD o que equivale a 60 placas de Linóleo! A colectânea terá uma edição limitada de 70 exemplares numerados.
A colaboração para a série “Violência Electro-Doméstica” entre os autores Xavier Almeida e Bernardo Fachada – que marca a estreia de B Fachada como argumentista (usando o disfarce de Pato Bravo) – surge após o primeiro trabalho em conjunto na realização do vídeo-clip de “Pifarinho”, música do último álbum (o terceiro homónimo) de B Fachada.



Música 

paL (aka Pedro Almeida) 
Experimentalista/improvisador/sound addited. Trabalha a voz e o corpo até ao limite, dando preferência ao lado performativo da produção sonora. Inicialmente (1980) com instrumentos convencionais (guitarra e voz) e mais tarde com ferramentas multimedia, tem vindo a explorar as potencialidades de objectos/instrumentos que produzam som. Neste evento apresentará 3 momentos de “pan-potting” (percussões) onde explora os sons e a espacialidade de objectos que cessaram a sua atividade principal, e no âmbito de um registo sonoro-videográfico 2 momentos de “Short_stories” (video com banda sonora ao vivo). 

MicroAFÓNICO (alternador de cds) + O cão Voyeur 
Pequenos rótulos de uma Playlist inexistente ADVERTEM que: o excesso de açúcar na musicalidade pode provocar um excesso de glicose no sangue que irriga os ouvidos e a consequente… SURDEZ! 

DJ Tam – Wasser Bassin 
Produzindo música desde o início do século XXI, Tam decidiu começar seu próprio selo em 2010, o que o torna um músico, gerente de rótulo e co-fundador do Wasser Bassin Records. Musicalmente, Tam gosta de diversidade, versatilidade, melancolia, chuva de inverno fria e tardes de verão suave. Hmm, essa música? Talvez não, mas quem se importa com opiniões quando se pode ver, sentir ou ouvir por si mesmo? 

Gossamers 
Munido de guitarra, sintetizador e efeitos, Gossamers cria texturas sonoras assentes na criação de loops e na sobreposição assíncrona de ruído e melodia; os territórios percorridos são os da ambient, do drone e da música exploratória, conseguindo perceber-se referências a nomes como Tim Hecker, Stars of the Lid ou William Basinski. 

Multimedia

paL (aka Pedro Almeida) 
Experimentalista/improvisador/sound addited. Trabalha a voz e o corpo até ao limite, dando preferência ao lado performativo da produção sonora. Inicialmente (1980) com instrumentos convencionais (guitarra e voz) e mais tarde com ferramentas multimedia, tem vindo a explorar as potencialidades de objectos/instrumentos que produzam som. No âmbito de um registo sonoro-videográfico na especial sala de cinema Charlot, apresentará short_stories (video com banda sonora ao vivo)
“lost images…
animated sounds…
around the corner memories
and bits of the world”
 

Mercado 

Bancas com venda de fanzines e outras publicações cheias de carácter, podendo conversar com os autores, conhecer mais de perto o seu trabalho e saber mais deste universo da edição independente, contamos com fantásticos projectos de expressão artística e criativa, dinâmicos, ferozes, românticos, irreverentes, emotivos, plásticos, musicais, poéticos, políticos e tudo mais, desde que carregados com a boa energia de múltiplos sentidos e acções e enquadrados na cultura “do it yourself". 

Presenças confirmadas:
Mundo Fantasma – Sofia Neto e Marco Mendes; Atelier 3|3 – Pedro Simões, João Rebelo e Margarida Ferreira; PhosPrint – Mário Venda Nova; Helena Granjo; Chili Com Carne e MMMNNNRRRG; Xavier Almeida; Rudolfo; Rui Moura; Walter Almeida – Casa Azul/Chapa Azul; Museu da Imprensa; Cinco_Sessenta; Zarelleci; Halma; Triciclo; Amaria Mota e Catarina Santos; Ana Portela e Uma Joana; Flanzine; Wasser Bassin; O Cão Voyeur; Miguel Sá; Esgar Acelerado; Clara Pessanha e Vanda Balinha; Filipa Namorado e Dylan Silva. 

Programação 

5 de Maio 2017 

Animação
Apresentações, lançamentos e conversas 
18h15 PhosPrint — lançamento Sakura, de Mário Venda Nova e 90LPI #1 Music Is a Big Fucking Deal, de Helena Granjo | apresentação 180DPI #1
18h30 edições 3|3 — lançamento Cor de burro quando fica, de Marta Ramos
20h00 Quadrado — apresentação
 

Música 
18h00 paL Live :: pan-potting I
19h00 MicroAFÓNICO (alternador de cds) + O cão Voyeur
 

Cinema 
21H30 paL :: short_stories I 

6 de Maio 2017 

Animação 
Apresentações, lançamentos e conversas 
15h00 edições 3|3 – Encyclopaedia Fantástica: Cornualha, de Tânia A. Cardoso e Joana Varanda
15h30 zine: 3|3, de Madame Zine, Pedro Simões e Walter Almeida
16h00 Triciclo – apresentação do projecto/revista
16h30 Violência Electro-Doméstica, de Xavier Almeida e Pato Bravo – lançamento final da série de Banda-Desenhada
 

Música 
14h00 DJ Tam – Wasser Bassin
17h00 paL Live :: pan-potting II
18h00 Gossamers
19h00 paL Live :: pan-potting III
 

Cinema 
21H30 paL :: short_stories II 

Livraria Mundo Fantasma 
Shopping Center Brasília
Avenida da Boavista 267, 1º andar, loja 509/510
4050-115, Porto 

Organização:
atelier 3|3
Madame Zine
Mundo Fantasma 

Apoio: 
Shopping Center Brasília
(Administração e Associação de Comerciantes)

0 comentários:

Enviar um comentário

Maximum Rocknroll #410 Julho 2017


Disponível na Black Mamba Distro €4.50
We hang out with Mexico City’s RIÑA and talk art and politics with Iceland’s hardcore punks DAUÐYFLIN and their US tourmates, Olympia’s XYLITOL. We have interviews with Berlin supergroup LIFE FUCKER, the creator of Exotic, a documentary covering sex work in Guam, and Hiro the Aggression from the legendary DISCLOSE. Garage punkers REPTILIANS FROM ANDROMEDA tell us about the scene in Istanbul, in fair Verona we meet LOS FASTIDIOS, no wave femme-punk heroines Y PANTS reflect on the occasion of their recently reissued back catalogue, IN FLUX mix powerviolence and D-beat in Portland, and MYDOLLS are still at it playing feminist punk in Houston and recording new music nearly 40 years into their life as a band. All of this plus photo spreads from Waynze World III in Kansas City and Olympia’s Book Your Own Fest, as well as an interview with collective members organizing Chicago’s queercore Fed Up Fest. And that’s not all — we’ve also got the biggest record, zine, demo and film review section in punk. What are you waiting for?