19/05/17

Bathory no Brasil


Não, não é a banda sueca que ressurge das cinzas e regressa ao Brasil mas sim uma possível adaptação gráfica de alguns dos seus temas que agora tem edição brasileira. 

Erzsébet, o romance gráfico de Nunsky que relata a história macabra da condessa húngara Erzsébet Bathory, publicado pela Chili Com Carne em 2014, foi agora editado no Brasil pela Zarabatana Books, como resultado da primeira venda de direitos de um livro para o estrangeiro por parte da associação/editora portuguesa.

Na contra-capa desta edição brasileira do 17º volume da Colecção CCC, faz-se o aviso que resulta como recomendação: Aconselhável para adultos!

Em Outubro, segue-se a edição espanhola de The Care of Birds / O Cuidado dos Pássaros de Francisco Sousa Lobo.

Da sinopse:

Erzsébet Báthory, a infame condessa húngara contemporânea de Shakespeare, ao contrário deste, incarnou como poucos o lado negro e animalesco do ser humano. Atribuem a Erzsébet centenas de crimes inomináveis – e por isso ficou conhecida como Tigresa de Csejthe e Condessa Sanguinária – que a colocaram no mesmo lendário patamar de Gilles de Rais e Vlad, o Empalador. Por detrás de seu rosto pálido, de olhar impassível e melancólico, ocultava-se o próprio demônio, Ördög.

Em Erzsébet, o quadrinista português Nunsky recria com maestria a vida sombria desta personagem misteriosa e assustadora.


Prémio Nacional de Banda Desenhada Amadora BD 2015 de Melhor Desenho para Álbum Português e seleccionado por Pedro Moura nas Best Graphic Novels 2015 no site do Paul Gravett, este romance gráfico é visto assim André Coelho, por outro grande autor de cenas macabras: 

"Erzsebet é um grande livro. Consegue ter aquele espírito dos filmes do Jess Franco e afins, em que por vezes é mais importante a iconografia e a imposição de elementos simbólicos / esotéricos ou fragmentos de actos violentos e ritualizados (como as mãos nas facas ou as perfurações e golpes) do que termos uma continuidade explicita e lógica da narrativa, o que cria toda uma tensão e insanidade ao longo do livro e de que há forças maiores do que a nossas a operar naquele espaço."


Nunsky é um criador nortenho que só participou no zine Mesinha de Cabeceira da Chili Com Carne. Assinou o número 13 por inteiro, um número comemorativo dos 5 anos de existência do zine, com uma bd intitulada 88, que pode ser considerada única no panorama português da altura (1997) mas também nos dias de hoje, pela temática psycho-goth e uma qualidade gráfica a lembrar os Love & Rockets ou Charles Burns.

O autor desde então retirou-se de cena, preferindo tornar-se vocalista da banda The ID's cujo o destino é desconhecido.

Em 2014 deu-se o seu regresso em grande com este Erzsébet e em 2015 tivemos Nadja - Ninfeta Virgem do Inferno, um sonho aerográfico entre a cena metaleira de LA dos oitentas e a distopia do RanXerox.

Em 2016, novo número, o 28, do Mesinha de Cabeceira e outra vez exclusivamente com um trabalho de Nunsky, Espero chegar em breve, a sua adaptação do conto de Philip K. Dick, numa Edição Nunsky Comics com o apoio da MMMNNNRRRG.

0 comentários:

Enviar um comentário

Maximum Rocknroll #410 Julho 2017


Disponível na Black Mamba Distro €4.50
We hang out with Mexico City’s RIÑA and talk art and politics with Iceland’s hardcore punks DAUÐYFLIN and their US tourmates, Olympia’s XYLITOL. We have interviews with Berlin supergroup LIFE FUCKER, the creator of Exotic, a documentary covering sex work in Guam, and Hiro the Aggression from the legendary DISCLOSE. Garage punkers REPTILIANS FROM ANDROMEDA tell us about the scene in Istanbul, in fair Verona we meet LOS FASTIDIOS, no wave femme-punk heroines Y PANTS reflect on the occasion of their recently reissued back catalogue, IN FLUX mix powerviolence and D-beat in Portland, and MYDOLLS are still at it playing feminist punk in Houston and recording new music nearly 40 years into their life as a band. All of this plus photo spreads from Waynze World III in Kansas City and Olympia’s Book Your Own Fest, as well as an interview with collective members organizing Chicago’s queercore Fed Up Fest. And that’s not all — we’ve also got the biggest record, zine, demo and film review section in punk. What are you waiting for?